22 de nov de 2006

Relações Publicas: Administração ou Comunicação?

Nos meios acadêmicos dos cursos de Relações Públicas é comum essa discussão, sempre na tentativa de decifrar o real lugar das Relações Públicas.
Afinal administração ou comunicação?!
Ouso afirmar que a profissão encaixa-se dentro das duas áreas.
Na administração porque administramos os problemas e soluções da comunicação integrada, não do ponto de vista financeiro, mas do ponto de vista estratégico, buscando formas e meios de utilizarmos os canais de comunicação a favor do negócio, como geradores de resultados.
Na comunicação porque atuamos como canalizadores das decisões e ações que a empresa produz, e por meio das técnicas e conhecimentos de comunicação e opinião pública manifestamos a posição da organização.
Somos especialistas do movimento e conseqüência da opinião pública sobre as pessoas e organizações, conhecemos o modo como ela se movimenta e atua nas situações, então trabalhamos de forma a conquistar essa opinião.
Defendo a idéia de que a condição de diplomata corporativo é o que melhor define as Relações Públicas é o mais compatível com as nossas obrigações e funções.
Partindo do pré suposto de que, um diplomata subentende-se alguém com grande bagagem cultural, comunicacional e oratória capaz de interferir num processo e mudar as diretrizes das ações iniciais produzidas por ambas as partes envolvidas, apenas pelo convencimento da boa parceria, da boa política, da ausência de guerras.
Somos sim diplomatas corporativos!
Diplomatas corporativos porque usamos nossas habilidades técnicas para harmonizar conflitos seja interno ou externo, convencer as partes dos benefícios bilaterais e da importância da concordância e atuação conjunta nas decisões tomadas.
Somos os verdadeiros embaixadores das empresas ou entidades que representamos, levando por onde quer que andemos a filosofia, a missão e a visão de nossos representados.
Procurando sempre honrar e dignificar esta entidade por trás de nosso trabalho, valorizando suas ações dentro da ética e da responsabilidade social, vendendo sua imagem corporativa no papel de nossas pessoas.
Por isso, a importância na formação genérica e de conteúdos históricos, geográficos, filosóficos e humanistas, nos dá bases sólidas para bem empregarmos o aprendizado técnico e acadêmico.
Lidamos com personalidades, lidamos com o que as pessoas têm de mais sutil e profundo suas crenças, seus códigos internos de ética, moral e razão, lidamos com os egos parte essencial da personalidade humana e fazemos parte da frente de batalha, onde estamos sujeitos a todo tipo de julgamento constantemente.
Estamos diariamente frente à complexidade humana de ser, procurando simplificar, convencer, conduzir. Condução aqui aplicada de modo positivo promovendo as intenções corporativas e institucionais, visando sempre contribuir para um mundo melhor, mais justo, mais próspero.Começando pela comunidade onde estamos inseridos.
Diplomatas corporativos porque fazemos a ponte entre as organizações, e seus públicos e promovemos a paz e a troca positiva e podemos fazer dos concorrentes, parceiros.
Administradores sim!
Comunicadores sim!

Milene Gonçalves.
Relações Públicas Reg. 3026
Conrerp 2ª região SP/PR